top of page

Narrativa: Você sabe o que é e quais os tipos mais populares no universo infantil?




Na minha infância, eu sempre me entregava inteiramente às histórias repletas de encanto, fantasia e pura imaginação. À medida que fui crescendo, as tardes de domingo foram tomadas por aventuras eletrizantes, protagonizadas por heróis destemidos, recheadas de emoção e com uma generosa pitada de mistério. No entanto, agora, na fase adulta, descobri um amor profundo pelas fábulas, apreciando as lições e a simplicidade envolvente dessas narrativas.

Conversando sobre isso esses dias com um grupo de amigos, percebi que há sempre uma pequena confusão sobre o que são narrativas e sua diferença com gêneros. Ficou claro que as narrativas são as próprias histórias, o modo como contamos ou ouvimos os eventos se desdobrarem, enquanto os gêneros são as categorias mais amplas que classificam essas histórias com base em características e temas compartilhados. Essa reflexão enriqueceu ainda mais minha compreensão e apreciação pela diversidade presente na arte de contar histórias.


Mas afinal, o que é uma narrativa? Em linhas gerais, uma narrativa é uma história que conta eventos ou experiências, levando o leitor a um mundo imaginário ou real. Agora, vamos explorar alguns exemplos:



1. Contos de Fadas:

Nesse tipo de narrativa, encontramos histórias mágicas, geralmente com personagens como princesas, bruxas e animais falantes. Esses contos, como Cinderela e Chapeuzinho Vermelho, misturam elementos encantados com lições morais.



  • 2. Fábulas:

As fábulas são narrativas curtas que apresentam animais como protagonistas, cada um simbolizando características humanas. A formiga trabalhadora e a lebre despreocupada são exemplos clássicos que ensinam lições valiosas.



  • 3. Aventuras:

Narrativas de aventura são repletas de emoção, com heróis enfrentando desafios épicos, explorando mapas do tesouro e descobrindo lugares fantásticos. Exemplos incluem as aventuras de Harry Potter e As Crônicas de Nárnia.


  • 4. Fantasia:

Mundos imaginários, criaturas mágicas e cenários surreais definem as narrativas de fantasia. Alice no País das Maravilhas é um excelente exemplo desse tipo de história que estimula a imaginação.


  • 5. Enigmas e Mistérios:

Essas narrativas são como quebra-cabeças, com personagens enfrentando desafios para desvendar mistérios. Detetives mirins, como os Baudelaire em "Desventuras em Série", protagonizam histórias cheias de suspense.


  • 6. Amizade e Aprendizado:

Algumas histórias infantis focam em valores como amizade e crescimento pessoal. O Ursinho Pooh, por exemplo, ensina lições importantes sobre o valor da amizade e da compreensão.





Antes de finalizar, vale a pena compreender as distinções entre dois formatos populares: o conto de fadas e o conto tradicional.


  • 1. Contos de Fadas:

Os contos de fadas são marcados por elementos mágicos, personagens fantásticos e frequentemente apresentam um tom de maravilha. Essas histórias, como Cinderela, A Bela e a Fera, transportam os leitores para reinos encantados e exploram temas como a jornada do herói. Os finais costumam ser felizes, resolvendo conflitos e recompensando personagens por suas virtudes.


  • 2. Contos Tradicionais:

Os contos tradicionais, por outro lado, podem abordar uma variedade maior de situações, sem depender necessariamente de elementos mágicos. Podem ser histórias do cotidiano ou até mesmo contos de suspense. Os finais destes contos podem ser mais abertos, deixando espaço para interpretação, e nem sempre seguem a tradição de um final feliz.



Diferenças nos Finais:


  • Contos de Fadas:

Geralmente, os contos de fadas terminam com um final feliz, onde o bem triunfa sobre o mal. Os personagens principais são recompensados por suas virtudes, e a harmonia é restaurada no universo da história.


  • Contos Tradicionais:

Os contos tradicionais podem ter finais variados. Alguns podem ser felizes, outros trágicos, e alguns até mesmo abertos, permitindo que o leitor reflita sobre o que aconteceu. A diversidade de finais proporciona uma experiência de leitura mais ampla e, por vezes, surpreendente.


  • Fábulas e suas Lições:

As fábulas, independente do formato, têm em comum o propósito de transmitir uma lição moral. Geralmente, ao final da história, há uma moralidade clara, muitas vezes expressa explicitamente. Por exemplo, a fábula "A Cigarra e a Formiga" ensina sobre a importância do trabalho árduo e do planejamento para o futuro.



Dessa forma, ao explorar diferentes tipos de narrativa, é interessante observar como o desfecho contribui para a mensagem que a história busca transmitir aos leitores. A literatura infantil é um vasto universo onde cada tipo de narrativa oferece uma experiência única. E você, tem algum tipo de narrativa predileto? Boas descobertas literárias! 📚✨

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page